Mudança cargo

Mudança cargo : A Sétima Turma do Tribunal Superior do Trabalho negou provimento a recurso de um ex-diretor financeiro da International Paper do Brasil Ltda. contra decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas/SP) que considerou lícito seu retorno ao Brasil em cargo de hierarquia inferior e com vencimentos menores aos que recebia no Chile, onde esteve a serviço da empresa por 18 meses.

O ex-diretor alegou na reclamação trabalhista que a transferência para Santiago, no Chile, não suspendeu o contrato de trabalho firmado no Brasil. Afirmou, ainda, que passou a acumular a remuneração recebida no Brasil, como gerente geral de recursos humanos, e a recebida na filial chilena, como diretor financeiro. E que, ao retornar do exterior, passou a perceber apenas os salários brasileiros, caracterizando alteração contratual e redução ilícita na sua remuneração.

O TRT entendeu que o pagamento de remuneração maior decorreu do desempenho de cargo de hierarquia superior, não se incorporando ao patrimônio jurídico do empregado nem ensejando o pagamento de diferenças salariais quando do retorno à função originalmente contratada.

Na Sétima Turma, o relator do recurso, desembargador convocado André Genn de Assunção Barros, assinalou que a reversão do empregado à função de origem (gerente geral de recursos humanos), com a supressão do pagamento referente ao cargo de diretor financeiro no Chile, se insere no poder diretivo do empregador, sem configurar alteração contratual ilícita.

Segundo a decisão, a situação não caracterizou redução salarial e está em conformidade com os artigos 7º, inciso VI, da Constituição Federal e 468 da CLT. A decisão foi unânime. O trabalhador recorreu da decisão por meio de embargos declaratórios ainda não julgados pelo TST.

Conheça o curso de cálculo trabalhista com ênfase em liquidação de sentença - Clique aqui

No Comments Yet.

Leave a comment

Fale no WhatsApp